sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

POEMA

Caros amigos,

Recebi este poema de um leitor. Não o conheço, mas achei o poema lindo e sensível, portanto o reproduzo integralmente para que vocês conheçam e sintam por si só:

RECONHECIMENTO IMPACTUANTE:

Sempre reconcilio-me, quando abro o coração,
pois tenho medo do esmorecimento,
traduzo tudo, logo após vem a emoção,
e de de forma impactuante, deixo um agradecimento;

O por quê deixa para traz,
as formas erradas de pensar,
e assim, você manda embora tudo, vem a paz,
ajoelha-se, prósta-se, agradece, começa rezar;

Pensa mais, mais e mais, estanca,
espíritos salutares, todos amados,
reconcilia-se com todos, surge a falange branca,
dos irmãozinhos encarnados e desencarnados;

Citarei alguns, de Artur, Mauro, moreno,
citarei outros, muitas vezes,
de Ronaldo Nogueira à Gilda Centeno,
Allan Kardec, fénelon e Bezerra de Menezes;

Yemanjá e mais algum,
realmente, vi muitos, Oxalá, Oxóce, Xangô,
jamais esquecerei Ogum,
mas vi também o Exú Marabô;

Tenho a voz e minha prece é certeira,
sou um mestre, sou flexeiro,
e o quê falar de Pernambuco Nogueira?
e do Jorge? Jorge Alberto Beck Mendes Ribeiro;

Finalizando, saudo Ogum,
pois a emoção é tanta, até espanca,
obrigado meu pai Olorum,
por ter enviado esta legião, a falange branca.


Autor: Elfuni Zaniol

Nenhum comentário: