sábado, 9 de fevereiro de 2008

Transmutar

Encontrei este site e achei maravilhoso, apesar de ser diferente da Umbanda, tem tudo haver com nossos valores e tem conceitos muito interessantes, que valem a pena serem lidos. Reproduzo abaixo um deles:

Transmutação significa mudança, a arte de transformar algo em outra forma ou substância, transformação.

Para a alquimia, transmutação é a conversão de um elemento químico em outro elemento químico. O principal objetivo dos alquimistas é a transmutação de metais inferiores em ouro. Este conceito é também aplicado com características próprias na genética e na física nuclear. A transmutação ocorre na natureza, espontaneamente, quando certos elementos químicos e isótopos possuem núcleos instáveis. Em tais elementos, se produzem fenômenos de fissão nuclear, que se transformam em novos elementos de números atômicos inferiores, até que os seus núcleos se tornem estáveis (geralmente adquirindo a estabilidade do chumbo)



Os egípcios acreditavam que a inteligência do universo é expressa em cada parte do todo. O que conhecemos por átomo é a representação de uma parte desta verdade, acredito que exista uma inteligência consciente, existencial, que mantém a existência, e se transforma com o tempo. Através de nossa consciência e nossa capacidade de entendimento, percebemos a ilusão da matéria e a capacidade em transformá-la. Para os egípcios: “A mente (tão bem como os metais e os elementos) pode ser transmutada de estado em estado, de grau em grau, de condição em condição, de pólo em pólo, de vibração em vibração. A verdadeira transmutação hermética é uma arte mental.”

Para nós, a arte da transmutação mental é pura alquimia. O primeiro passo que devemos dar em direção a esse processo alquímico é a conscientização daquilo que nos faz bem e daquilo que nos faz mal, ou seja, quais as emoções e comportamentos que praticamos diariamente que nos são positivos.

Nesta caminhada nossos passos devem ser conscientes e firmes, ainda que lentos, pois o verdadeiro aprendizado tem o nosso ritmo, que deve ser respeitado para transmutarmos tudo o que não nos pertence. Todos nós desejamos a felicidade, e devemos procurar aquilo que nos faz felizes. Na lei da causalidade, ou seja, se por acaso, existe algo que se repete e que resulta em infelicidade em minha vida, devo observar e trazer à consciência a causa, o que provoca esse sentimento ou comportamento e simplesmente eliminá-lo. E analogamente, se existe algo positivo que quero construir em minha vida, devo focar e construir conscientemente as causas que resultem naquilo que tenho como objetivo.

A verdadeira alquimia, portanto, trabalha no sentido de transmutar as baixas tendências do homem inferior nas qualidades de homem superior, isto é, combater os vícios e desenvolver as virtudes. Se o Universo é mental, a transmutação mental pode ser vista como a arte de transformar condicionamentos criados também no plano individual, já que o TODO é mente, e que habitamos na mente de Deus, como seres individuais. Podemos transmutar com muito trabalho, auto percepção e consciência, condições ou estados mentais que nos são prejudiciais. O princípio do mentalismo é o Princípio Básico de todo estudo da filosofia hermética e da Arte Hermética da transmutação mental. Mas ainda temos muito o que aprender sobre esse princípio.





Infelizmente o ser humano possui a capacidade de se adaptar a tudo, inclusive as coisas que são opostas aos seus sonhos, e quando menos se espera, a vida está tão ruim, que ele acaba acreditando que a felicidade não existe. Buscamos então, nos realizar parcialmente, em algum aspecto de nossa vida, abafando outros, que procuramos acreditar que não merecemos ou não precisamos, mas que se transformam em frustrações e recalques, e com o tempo, doenças.

Muitas vezes nos sentimos vítimas, sem perceber que vivemos nossas escolhas, ainda que, muitas vezes, escolhemos inconscientemente, mas essas escolhas não deixam de ser nossas, ou por conformismo, ou por medos e traumas, ou por conceitos enraizados, baseados em crenças e preconceitos adquiridos ao longo da vida. Não é fácil romper com velhas estruturas, mas é a melhor escolha para transmutarmos nossos aspectos negativos e evoluirmos. É preciso coragem para refletir e rever o que é necessário em nós mesmos, é preciso transmutar para caminhar em direção à felicidade.

É preciso coragem para abandonar aquilo que já não nos serve mais encarando uma busca por novos conceitos e ideais de vida. É preciso transmutar, ou seja, morrer para renascer muito melhor! A escolha de buscar a sua própria verdade e entrar em contato consigo mesmo, aprendendo a se conhecer, sempre e muito, é uma tarefa árdua e dolorosa, mas extremamente gratificante, porque evoluímos, renascemos muito mais fortes e felizes!

É preciso resignificar tudo o que aprendemos, analisando o que realmente é nosso, e o que é dos outros, e em algum momento de nossas vidas, aceitamos, sem realmente ter algo haver conosco. É encontrar a nossa própria essência. Enfim, renascer, evoluir, transmutar, sem medos e aprendendo a ser flexível em todas as situações que a vida nos apresenta sabiamente, visando nosso crescimento, nosso aprendizado, nossa evolução.A chave para determos o poder sobre a nossa própria vida é transmutar, através do auto-conhecimento e de mudanças interiores profundas e constantes, nos revendo e nos analisando, até nos apropriarmos de nosso poder integral e evoluirmos.

Nada na vida é o fim de tudo, tudo se transforma. Em todo final de situação, encontra-se a possibilidade de um novo recomeço e a mudança é uma constante, gostemos ou não. Melhor então, escolhermos como mudar, desenvolvendo a aptidão para agirmos com flexibilidade nos momentos de revés. Transmutar é isto, escolhermos de forma consciente o que precisamos aprimorar em nós mesmos. É assumirmos de forma integral, o poder sobre nossas vidas, visando nosso desenvolvimento pessoal e inter-pessoal, expandindo nossa consciência e nosso auto-conhecimento.

É preciso entrar em contato com o que realmente somos e o que temos dentro de nós, ou seja, nossas potencialidades, nossas qualidades, nossas virtudes, assim como nossos defeitos, vícios, nossas dificuldades, enfim com o que temos de luz e de sombra, transmutando o que não gostamos em nós mesmos, o que não queremos mais, para renascermos das cinzas como a Fênix! O resultado é um ser humano mais seguro e feliz.Num primeiro momento, parece uma escolha difícil, um caminho árduo, mas como tudo em nossa vida, do o que é novo nos assusta, e depois percebemos que não era tão complicado, quanto imaginamos. A primeira grande e importante decisão é aceitarmos que somos falíveis, assim como todos os outros seres humanos existentes no planeta, e o que fará a diferença, é o como agimos diante das situações da vida, dos relacionamentos conflituosos, revelando maturidade para transmutar ou imaturidade para se sentir uma vítima, sem nenhum poder de transformação, Qual a sua escolha?

Nossa missão é que todos aqueles que nos procurem, encontrem o próprio caminho e possam evoluir através dele, transmutando sempre, e jamais fiquem dependentes das opiniões alheias, e sim, que assumam a própria responsabilidade sobre sua própria vida!

Fonte - www.transmutando.com

Nenhum comentário: